Laboratório audiovisual: mais do que um vermelho fraquinho
2021

Videoarte 

Captação, concepção, edição: Marina Rombaldi.

Fonte: Acervo pessoal da artista (2021).

"Mais do que um vermelho fraquinho" é um sonho-cor-de-rosa. Uma vídeo arte composta por uma ação performativa na qual coexistem diversas camadas. O corpo-cor rosa, escondido por debaixo desse longo véu, que nada revela, se movimenta com tempo alterado, transpassando uma sensação de fluidez lenta, suave e gentil, como uma possibilidade de fluxo das águas. O corpo, aprisionado, parece flutuar em um universo cor de rosa. A vídeo arte abre com a imagem de um clássico pôr do sol vibrante na Orla do Guaíba, em Porto Alegre/RS. Símbolo de um astro que se põe, anunciando a chegada da escuridão. Ao fim, o corpo deixa de habitar, e aquela massa corporal toda, cor-de-rosa vibrante, acaba definhando e se tornando uma pilha de coisas-quaisquer. Doce e gentil também é a narrativa que transcorre o vídeo, apropriada da obra A Psicologia das Cores, de Eva Heller (2000). A atmosfera é de ilusão e sátira, tendo uma carga agressiva e extremamente pesada em cada palavra enunciada que é suavizada pelo que se entrega aos olhos, como contrapontos.

"Mas o rosa é mesmo uma cor? Ou apenas um meio-termo entre o vermelho e o branco? Não existe nenhuma outra pesquisa sobre cores em que o rosa figure. Será que a rejeição ao cor-de-rosa se encontra na própria cor? Ou é dominante a ideia de que o rosa é feminino, e por isso secundário, sem importância? [...] Por toda parte, o pink, o nosso rosa choque - ou cor de maravilha - é considerado a mais vulgar das cores." (HELLER, 2000).

Captura de Tela 2021-06-01 às 13.21.10.
WhatsApp Image 2021-05-15 at 09.50.37 (7
DSC_9052 3.JPG