Conjunto de afetos criativos entre corpo e forma
2020

Videoperformance 

Dimensões variáveis 

Captação de edição: Marina Rombaldi

Fonte: Acervo pessoal da artista (2020).

Ensaio:

Diálogos entre estrutura-corpo-objeto-cor, será que a arte resiste?

Se qualquer um pode falar com qualquer um, se um cineasta pode falar com um cientista, se um cientista pode ter alguma coisa a dizer a um filósofo e vice-versa, é na medida e em função da atividade criadora de cada um. Não que haja ensejo para falar da criação, a criação é antes algo bastante solitário; não que haja espaço para falar “da” criação, mas é em nome da criação que eu tenho alguma coisa a dizer a alguém.

- Gilles Deleuze, O que é um ato de criação?, 1987[1]

Os diálogos entre artista e criação - ou artista e experienciação, como me conforta mais intitular - seguem em ponto morto para o campo interno. E fez-se um caminho, em mim, ao menos, direcionado para o dentro em busca de acolhimento e entendimento das relações entre artista, mundo e tempo. Um diálogo diário, intenso e, por vezes, até perverso. Será que a arte resiste?

 

A poiética possibilitou que se mantenham em suspensão as relações criadas a partir do que me pertence, o corpo, interconectado com o espaço fluido da cidade, os laços que se estabeleceram, as aproximações, as cartografias do concreto e as cartografias da experiência. Soa um tanto caótico, mas nesse distanciamento do processo de coligação entre corpo e espaço urbano, percebo agora, em um tempo distinto, diversos moldes que se criaram. Como de praxe, não podendo circular e viver o urbano da mesma maneira, os moldes agora são outros.

Dado o fato de que, no agora, em uma revisão dos hábitos, dos tempos, das ligações e das conexões, as estruturas são outras. Os espaços são outros, as relações são outras, os hábitos são outros. O meio molda ao passo que também é moldado. Uma relação dialética e ampla. Nas propostas artísticas e experimentos de vivência, forma e conceito estão amalgamados. O conceito surge da forma, a forma leva a um caminho; tudo são escolhas, sempre escolhas.

 

Como o título da obra de Lygia Clark direciona: construa você mesmo seu espaço de viver (1960). Tantas possibilidades rizomáticas.

 

A partir desse ponto, o ensaio se torna não mais tão verbal, mas visual. O corpo, que em ações anteriores assumiu um estado de cor e de estrutura variável, que foi moldado e moldou o espaço da cidade; postulou diálogos, realizou trocas intensas baseadas em uma corporalidade – aproximação e vivência entre corpos. Esse mapeamento subjetivo no espaço coletivo, agora, cede mais uma vez e, como um rizoma, abre campo para mais um exercício de experimentação e aproveitamento do interno. É um constante saltar do interno para o externo, em níveis micro e macro.

 

Conjunto de afetos criativos entre corpo e forma (2020) surge como uma tentativa de materializar o processo simbólico, e afetivo, que é refletir sobre o moldar e ser moldado. Massas de cerâmica fria assumem formas criadas a partir das dobras, estruturas, curvas, aproximações, pressões e pesos do corpo. Pequenos corpos-forma – por enquanto, acinzentados como as partes da cidade, mas que em breve assumirão a potência e a identidade de corpo-estrutura-cor – são moldados a partir do corpo da artista. Como um processo de desdobramento exponencial. Outrora, a curva da calçada, a inclinação da rampa, a angulação reta do chão com a parede, eram determinantes sobre qual forma o corpo poderia assumir. Neste ensaio sobre estrutura-corpo-objeto, é a curva, a inclinação e a angulação do corpo da artista que demarcam e ajustam a forma que aquele outro objeto produzido, criado a partir de, orgânico ainda que rijo, vai poder assumir. Moldar a partir do espaço; construir no e o espaço em que se vive; multiplicar as formas e a potência do corpo. Os afetos criativos aproximam e originam uma pluralidade de formas que esse corpo pode propor.

[1] Ver conferência em: https://farofafilosofica.com/2016/12/03/o-que-e-um-ato-de-criacao-giles-deleuze-video-conferencia-na-fundacao-europeia-de-imagem-e-som/. Acesso em 19 de agosto de 2020.